DCIM100GOPRO

Senseis gaúchos exaltam resultado e atuações na Copa São Paulo

O judô gaúcho foi presença constante no pódio da Copa São Paulo de Judô, no fim de semana passado. Ao todo, 21 atletas do Estado conquistaram medalhas na competição, que é organizada pela Federação Paulista de Judô e que em 2016 teve a participação de cerca de 3 mil atletas de todos os Estados do país.

Na avaliação dos senseis gaúchos que estiveram no campeonato, os judocas do Estado tiveram um bom desempenho. Claro, sempre há algo a melhorar, mas as perspectivas para a temporada 2016 são boas, conforme os professores.

“Foi uma grande experiência tanto aos nossos atletas e como também para nós, professores”, comentou o sensei Miguel Kuse, do Recreio da Juventude. O clube de Caxias conquistou um ouro, uma prata e dois bronzes em São Paulo. E isso na estreia do Recreio no evento, como frisou Kuse.

Tão importante quanto o resultado foi a possibilidade de enfrentar eventuais rivais. “Foi a seletiva para a formação da seleção paulista que disputará o Brasileiro Regional, mês que vem. “Nossos atletas pudera duelar com possíveis adversários em Campeonatos Brasileiros e nas seletivas nacionais”, destacou.

Na mesma linha seguiu o sensei Christian Alderete, da Kiai. Os canoenses tiveram desempenho levemente melhor que os conterrâneos do Recreio, ao conquistarem um ouro, uma prata e quatro bronzes. “Sem dúvida o ponto forte da competição foi o número de participantes e o altíssimo nível técnico”, analisou.

Alderete se disse satisfeito com os resultados da Kiai: “Levando nossos atletas a este evento vejo que estamos preparando os mesmos a qualquer torneio”. Ele lembrou que mesmo os bastidores da Copa São Paulo foram positivos: “Tivemos chaves com 90 atletas. É uma adrenalina entrar em um evento deste porte, onde a pressão é enorme”. Para o sensei, os judocas da Kiai saem mais fortes psicologicamente:  “Queremos que nossos atletas estejam acostumados com esta pressão toda”.

Por sua vez, o técnico do GN União Leandro Freite ainda comemora os primeiros resultados do ambicioso projeto do clube porto-alegrense, o de ter judocas nos Jogos de Tóquio-2020. Os três ouros, uma prata e sete bronzes conquistados na Copa São Paulo já são reflexos desta iniciativa, argumenta o treinador. “Esta é uma das competições mais fortes que temos, em virtude de ser num dos polos do judô”, pontuou. “Tinha mais de 3 mil atletas e dentre 250 equipes ficamos em nono lugar.”

Freire ainda vê espaço para o desenvolvimento: “Em virtude do nível da competição, estamos bem felizes. Percebemos que a prata poderia ser ouro, que algum bronze poderia ter ido melhor. Tem detalhes a se melhorar, mas estamos treinando desde janeiro e já percebemos a evolução”, contou ele, que também exalta o intercâmbio de técnicas que os atletas agregam ao lutar fora do Rio Grande do Sul. “Em termos de crescimento, é extremamente significativo. É uma experiência que, como dizem, vai acumulando no quimono”, concluiu.

Foto: Everton Monteiro / Boletim Osotogari

Posted in Notícias and tagged , , , .

Deixe uma resposta