História da FGJ

Fragmentos da dissertação de Mestrado do Prof. Luiz Alcides Maduro sobre a Federação Gaúcha de Judô:

A década de 60

Na década de 60 ocorre a criação do Departamento de Judô na Federação Rio-grandense de Pugilismo ao final desta década a fundação da Federação Gaúcha de Judô. Outro fato de grande relevância para a história da judô no Estado foi a conquista por Álvaro Garcia, atleta de Passo Fundo, do primeiro título de campeão Brasileiro para o Rio Grande do Sul, em 1967 na cidade de Pelotas no Campeonato Brasileiro Juvenil.

A criação do Departamento de Judô na Federação Rio-grandense de Pugilismo

Um dos fatos fundamentais na história do judô gaúcho foi criação do seu Departamento na Federação Rio-grandense de Pugilismo (FRGP). Processo semelhante ocorreu com a Confederação Brasileira de Judô, que utilizou a estrutura da Confederação Brasileira de Pugilismo até 1968. A FRGP, dirigida na época por Moacir Dorneles, conhecido pelo apelido de Tarzan Mirim, congregava outros departamentos, tais como a Luta-livre e o Sumô. Apesar de ter sido o boxe inglês o esporte que originou a criação da federação, com o passar dos anos o departamento de judô passou a ser o principal dentre todos os outros. Com o fortalecimento do departamento de judô passou-se ao planejamento da criação de uma federação estadual específica. Os dirigentes da época, como Ricardo Gaston, reclamavam que parte dos recursos que seriam do judô eram repassados para outros departamentos. Segundo Gaston, primeiro presidente da Federação Gaúcha de Judô, a estratégia para a criação da Federação foi primeiramente eleger o professor Loanzi para a presidência da Federação Rio-grandense de Pugilismo, visto que Moacir Dorneles não facilitaria a saída do principal departamento de sua federação.

A fundação da Federação Gaúcha de Judô

Após a eleição da Federação Rio-grandense de Pugilismo, que elegeu o professor Loanzi como Presidente, o próximo passo seria a fundação de uma entidade autônoma, importante passo para o judô adquirir personalidade própria. Ocorreu então uma disputa pela presidência da entidade a ser criada entre dois grupos, liderados por Ricardo Gaston e pelo professor Loanzi, o que resultou na criação de duas federações simultaneamente, conforme atestam as duas atas de fundação. Uma foi a Federação Rio-grandense de Judô, fundada no dia 24 de abril de 1969, tendo como presidente da diretoria provisória o professor Loanzi. Esta federação era apoiada por diversos clubes, entre eles a Sogipa (Sociedade Ginástica Porto Alegre), o Sport Clube Ruy Barbosa e o Judô Clube Pelotense, cujo representante, o professor Paulo Brod[1], foi o secretário que redigiu a ata de fundação. Esta federação não obteve êxito e foi dissolvida em seguida, ficando acordado entre os grupos que não haveria entidades rivais e sim uma única Federação que aglutinaria, inclusive em seus postos de diretoria, integrantes das duas facções. A atual Federação Gaúcha de Judô, liderada na sua fundação por Ricardo Rodrigues Gaston, foi fundada praticamente um mês antes da fracassada Federação Rio-grandense, no dia 11 de março de 1969. Reuniram-se no Círculo Social Israelita, em Porto Alegre, os dirigentes das Sociedades Gondoleiros e Vila América, do Círculo Social Israelita e dos clubes de Judô Porto-alegrense e Metropolitano, com o fim específico de fundação da Federação Gaúcha de Judô (FGJ). Dirigiu os trabalhos o então vereador Cleon Guatimozin, e atuou como secretária Alsina Montersini, conforme está registrado na ata número 1 da Federação. O registro no Cartório de Registros Especiais, que recebeu o número 274523 e foi deferido no dia 14 de março de 1969. Este pedido de registro que é assinado por Ricardo Rodrigues Gaston, atesta que a FGJ foi fundada no dia 11 de março de 1969.

——————————————————————————–

[1] Tragicamente morto por uma descarga elétrica quando perfurava a parede de sua academia. Seu sepultamento comoveu a cidade de Pelotas devido à sua grande reputação. Após sua morte seus alunos continuaram treinando e venceram várias competições.

——————————————————————————–

Leia texto sobre parte da história da categoria “Veteranos” clicando aqui