Tina Portela

Maria Portela e Tina Trstnjak, uma amizade além dos tatames

tina portela 2Em seu alto rendimento, o judô pode ser um ambiente de pressão. É uma rotina entre treinar, bater o peso, viajar, treinar de novo, alimentação regrada, estudar adversários, regular o sono. Isso sem falar em estar longe de quem se ama, além, claro, da pressão por resultados.

Mas não é por isso que não pode ser um local para amizades. E às vezes grande amizades, num altíssimo nível – seja dentro do tatame, seja fora deles. Quem garante é um rosto bastante conhecido do judô gaúcho, Maria Portela, que foi anfitriã nas últimas semanas do ano da eslovena Tina Trstenjak, campeã mundial e olímpica no peso 63kg.

Trata-se de uma amizade relativamente recente, como a própria Tina revela: “Tudo começou em 2018, quando Maria foi treinar no meu clube na Eslovênia. Nós nos conhecíamos uma a outra antes, mas nunca tivemos um grande relacionamento. Quando ela veio treinar no meu clube e nós trabalhamos juntas, começamos a falar mais e mais. Agora parece que nós nos conhecemos há anos”.

Apesar do corre-corre de competições, a atleta de 31 anos vê nesse momento uma boa hora para também fazer amigos, mas “desde que você esteja aberto a isso”, conforme conta. “Nós temos a oportunidade de conhecer novas pessoas e culturas.”

Mesmo esse choque cultural não impede a afinidade. Tina define Portela como uma “irmã” que ganhou no judô, mas que transcendeu o esporte. “Nós sempre nos apoiamos em todos os caminhos das nossas vidas, incluindo competições e somos felizes com o sucesso de cada uma. Mas nossa amizade não é apenas no judô, mas da vida”, conta ela.

E Tina teve uma agenda cheia em seu período no RS. A eslovena esteve ao lado da gaúcha em diferentes homenagens que Portela recebeu no período, tanto no Bonenkai da FGJ, quanto na entrega do Prêmio Mérito Esportivo. Em sua estadia em Porto Alegre, passeios não faltaram: “Gostei da cidade, é diferente da minha. É tão grande quanto toda a Eslovênia, e é uma experiência totalmente diferente para mim estar aqui”, define ela, que também visitou o interior gaúcho, aventurando-se até em saltos de bungee jump  ao lado da amiga – que chama de “sis”, de sister, irmã em inglês.

A visita, revela Portela, foi pensada para este período de fim de temporada, quase como as férias – apesar de que a gaúcha ainda estava envolvida com a disputa da Seletiva Nacional, da qual saiu vencedora. “Como a gente só se encontrava nas competições normalmente focada, a gente não conseguia sair para passear”, justifica Portela, que vai retribuir: “Eu vou voltar para a Eslovênia, mas aí para se divertir”.

Óbvio, não faltou judô neste período. A campeã olímpica no Rio-2016 e medalhista em Tóquio se disse impressionada com a estrutura da Sogipa – que, segundo ela, é muito maior que o clube onde treina em seu país. “As condições de treino são muito boas aqui. O trabalho realizado aqui é muito bom e já aprendi muito”, exalta Tina. “Vai ser ótimo trazer essa experiência para minha casa.”

Posted in Notícias and tagged , .

Deixe uma resposta