Douglas Pötrich: trabalho constante rumo ao sonho olímpico

Douglas Pötrich: trabalho constante rumo ao sonho olímpico

Não só dentro dos tatames que o judô gaúcho terá representante na delegação brasileira que disputará os Jogos Olímpicos da Juventude, a partir do próximo fim de semana, em Buenos Aires, na Argentina. Fora dele, o sensei Douglas Pötrich estará lá. Ele será técnico da equipe do país na competição, que começa em 6 de outubro – o judô terá suas disputas nos dias 7 e 8.

“Douglas tem um trabalho sério e dedicado na Confederação Brasileira de Judô. Agora, ele se tornará o primeiro professor gaúcho a ser técnico em uma competição olímpica”, destacou o presidente da Federação Gaúcha de Judô, César Cação. “Colhe frutos de seu trabalho, que nos ajuda no Estado a termos bons resultados.”

Douglas atua nas categorias de base da CBJ há seis anos. “De lá pra cá já amadurecemos muito, pegando bagagem, trocando informações, estudando, montando estratégias, executando e vendo o trabalho cada vez mais dando certo através não apenas dos resultados, mas também da troca de experiências com os colegas e profissionais de clubes”, avaliou ele.

O sensei Douglas enxerga reflexos de seu trabalho na CBJ em solo gaúcho. E não apenas em Canoas, onde fica a Kiai. “Nosso trabalho melhorou depois que iniciamos esta caminhada na Seleção Brasileira”, disse o professor, que já acumula mais de 60 eventos internacionais pela Seleção. “Não somente na questão técnico-tática, mas também na gestão da equipe. A utilização de ferramentas da ciência dentro do trabalho que a gente realiza em Canoas.”

O trabalho, compartilhado com colegas de outras filiadas à FGJ, rende frutos: “Temos uma estrutura pequena, mas temos resultado na base tanto em nível nacional como internacional”, exaltou.

“Atmosfera olímpica”

Em Buenos Aires, Douglas será técnico da gaúcha Eduarda Vaz Rosa, uma promessa de 17 anos, do GN União. Na opinião dele, a atleta e os demais participantes terão uma grande oportunidade. “É uma chance de respirar e entender essa atmosfera olímpica, tanto na parte de competição como também em entender os valores olímpicos desde já. Antes, somente os atletas na classe adulto tinham acesso a isso”, comentou.

Serve de um estágio para um futuro já próximo dos participantes: “É um grande evento preparatório para outros grandes eventos torneios que provavelmente esses jovens vão estar”, projetou.

Posted in Notícias and tagged .

Deixe uma resposta