Paulo Wanderley: “Os gaúchos sempre buscam o melhor”

Paulo Wanderley elogiou o judô gaúcho | Foto: Tiago Medina
De passagem por Porto Alegre, onde acompanhou o primeiro dia de lutas do Campeonato Pan-Americano de veteranos, no último fim de semana, o presidente da Confederação Brasileira de Judô, Paulo Wanderley, traçou considerações sobre a modalidade no Rio Grande do Sul. E num rápida conversa, constatou: “Os gaúchos sempre buscam o melhor”.

Ao lado do presidente da Federação Gaúcha de Judô, Carlos Eurico da Luz Pereira, do bicampeão mundial, João Derly, e outras autoridades, Paulo Wanderley abriu o Pan, ainda na sexta-feira. Logo a seguir, sentou-se em frente à área central de lutas para acompanhar a competição. Do local, trocou ideias com diversas pessoas, ressaltando a importância dos mais diversos níveis de competição do judô no Brasil e no Rio Grande do Sul.

Instigado a comentar sobre o esporte no Estado, não segurou o sorriso e afirmou: “Aqui há uma nação, a nação gaúcha de judô”. “Os judocas gaúchos são sempre focados no objetivo. Eles são entusiastas da nossa modalidade”, analisou.

Ao lado de Derly e Kiko, o presidente da CBJ trocou ideias olímpicas | Foto: Tiago MedinaPaulo Wanderley mostra confiança nos “gaúchos olímpicos”

Prova desta determinação, ao seu ver, é a gaúcha Maria Portela, que voltou a treinar no Estado neste ano e deu um salto no ranking mundial, já estando próxima de garantir uma vaga nos Jogos Olímpicos do ano que vem. “Ela é muito guerreira e tem muita disposição para conseguir o que quer”, comentou o dirigente, sobre a atual número 20 do ranking mundial da categoria médio. “Ela está perseguindo o objetivo e deve se firmar nesta vaga.”

Em outra gaúcha, Mayra Aguiar, repousam esperanças de muitas conquistas para o judô brasileiro nos próximos anos. “Mayra sempre foi uma vencedora. É uma atleta regular e está no topo da excelência mundial”, destacou. “Ela ainda é jovem, mas com bastante experiência. É, ao meu ver, um dos nomes mais fortes nos Jogos Pan-Americanos e em Londres-2012.”

O presidente da CBJ também se mostrou otimista ao falar sobre Felipe Kitadai, no Sul desde o início da temporada. “É uma grata revelação. É jovem ainda e vem preenchendo com propriedade esta categoria.”

Paulo Wanderley esteve no Pan | Foto: Tiago MedinaPresidente da CBJ ressalta importância de clubes e academias

No entanto, não são apenas de atletas de ponta em que a força do judô brasileiro reside. Paulo Wanderley fez questão de ressaltar a importância de clubes e academias: “Cada um tem seu papel. Em geral, a base dos atletas está em clubes menores e academias. Aliás, a raiz do judô brasileiro está nas academias”, salientou.

“O atleta às vezes precisa de mais recursos e por isso troca de clube”, explicou Paulo Wanderley. Numa breve comparação, disse que as academias e os clubes maiores são importantes. “Todos têm papel fundamental.”

Mais apoio aos veteranos

Uma das marcas da gestão de Paulo Wanderley à frente da CBJ é o apoio às categorias de base. Mas, garantiu ele, paulatinamente, os veteranos também vão ganhar mais incentivo. “Tudo é uma questão de passo a passo, uma etapa de cada vez”, afirmou ele, lembrando da realização do Sul-Americano no ano passado em Porto Alegre e do Mundial do ano que vem, que será em Salvador. “Com essa sequência, vamos dando um apoio ainda mais concreto.”

Posted in Notícias and tagged , , , , , , .

Deixe uma resposta